Aqui você encontra materiais e releases da assessoria de imprensa CLINIPAM.


Política de Coparticipação - Telemedicina

Política de Coparticipação - Telemedicina

O Grupo NotreDame Intermédica (GNDI) Sul tem investido para tornar saúde de qualidade cada vez mais acessível. As consultas médicas na modalidade Telemedicina estão fazendo a diferença na vida dos nossos pacientes.É importante lembrar que, a partir de 01/08/2021, estes atendimentos passarão a ser cobrados conforme previsto no seu contrato. Você poderá consultar o valor de coparticipação para os atendimentos realizados por Telemedicina, com valores diferenciados para o seu contrato, por meio do simulador no aplicativo GNDI easy Sul.Com a Telemedicina GNDI Sul, você tem mais segurança em seus atendimentos, sem a necessidade de deslocamento, e ainda agenda a sua consulta médica online nas mais diversas especialidades, na data e horário disponíveis.Vantagens da Telemedicina GNDI• Prescrições médicas com certificação digital válida em todo o território nacional;• Mais segurança sem necessidade de deslocamento durante a pandemia;• Mais de 70 médicos treinados para prestar atendimento por videoconferência;• 90% das necessidades dos beneficiários resolvidas dentro da plataforma;• Médicos especialistas disponíveis para atendimento 16 horas por dia, de segunda a sábado.Para mais informações, consulte o aplicativo GNDI easy Sul ou entre em contato com a Central de Atendimento da sua região

Home office: Como inserir a ginástica laboral na sua rotina

Home office: Como inserir a ginástica laboral na sua rotina

O home office se tornou uma realidade na rotina de muitos brasileiros. Era uma tendência e, com a chegada da pandemia, o trabalho remoto foi acelerado e se tornou sinônimo de segurança para evitar contágios pelo Coronavírus. Tudo indica que essa mudança veio para ficar. No post de hoje, trazemos algumas dicas para que o home office não seja uma “armadilha” para os colaboradores, que, mesmo em casa, devem manter o corpo em movimento para evitar dores e lesões musculares. Por isso, a ginástica laboral em empresas é uma aliada. Na opinião de Leandro Alves de Aguiar Pedrico, professor de educação física do Centro de Qualidade de Vida (CQV) do GNDI Sul, o trabalho remoto pode tornar as pessoas ainda mais sedentárias do que antes. “Nos ambientes da empresa, as pessoas andam, se levantam para buscar algo em outros setores ou realizam outras atividades. Já em casa, muitos adaptam como podem seu ambiente para trabalhar, como por exemplo, utilizando o sofá para sentar e almofadas como apoios para o notebook. Até a mesa de jantar se torna local de trabalho e o móvel não é adequado para esta função. Essas “adaptações caseiras” podem gerar algumas contraturas que, no futuro, podem ser um problema”, alerta. Cuidar da postura é uma das recomendações do professor de educação física para preservar a saúde. “Precisamos corrigir esses vícios posturais, melhorando nossa rotina de trabalho. O recomendado é incluir em seus hábitos, ao menos um momento de alongamento no dia, de preferência com a orientação de um profissional de educação física”, diz Leandro Pedrico. Neste contexto, a ginástica laboral traz muitos benefícios porque estimula uma pausa para o autocuidado, tão necessário para manter a saúde do corpo e da mente. Confira alguns deles, apontados pelo professor de educação física do CQV: - Redução de dores osteomusculares e articulares; - Fortalecimento da musculatura; - Melhora no condicionamento físico; - Diminuição do sedentarismo; - Aumento do bem-estar. Melhora o desempenho Vale ressaltar que, para o empregador, a ginástica laboral também oferece vantagens porque melhora o desempenho das esquipes. Leandro Pedrico afirma que a pandemia aumentou a preocupação dos setores de recursos humanos com a qualidade de vida e o bem-estar dos colaboradores. A Covid-19 desencadeou uma pandemia oculta, relacionada à saúde mental, que passou a ser encarada como uma urgência para grande parte das corporações. “As empresas enfrentam mais um desafio, como afastamentos, queda de produtividade e colaboradores doentes. Ainda mais nesse momento tão difícil e complicado que estamos, é necessário ter um olhar especial para cada funcionário que, com muita determinação e engajamento, entrega o seu melhor para instituição”, afirma. Confira como a ginástica laboral pode interferir a favor do aumento da produtividade nas empresas: - Gera maior satisfação do empregado;  - Aumenta o rendimento e a atenção nas atividades;  - Contribui para saúde mental; - Reduz problemas ocupacionais - Queda de absenteísmo Tecnologia permite a realização de ginástica laboral à distância A tecnologia se tornou uma grande aliada em tempos de pandemia e pode ser utilizada como uma ferramenta para que as empresas não interrompam programas de qualidade de vida, como a ginástica laboral. As aulas podem ser ministradas no formato online ao vivo ou gravadas. Por meio da tela, os colaboradores são estimulados a fazer movimentos e alongamentos com a instrução de um professor. “Esses momentos semanais gerem mais interação e descontração, deixando o trabalho mais leve e produtivo, agregando valor e sentimento de satisfação no final de um dia de trabalho”, argumenta Leandro Pedrico. Os efeitos da ginástica laboral, segundo ele, serão sentidos a curto e longo prazo por colaboradores e gestores porque desperta a consciência sobre o autocuidado. “Esse fator pode contribuir para a queda dos agravos à saúde física e psicológica dos colaboradores. As empresas precisam ter em mente que a sua ferramenta mais importante de trabalho é o colaborador saudável. Reflita sobre essa ideia e a coloque em prática”, finaliza o professor de educação física do CQV.

Rotina Skincare: confira 8 dicas para cuidar da pele

Rotina Skincare: confira 8 dicas para cuidar da pele

A pesquisa pelo “skincare” decolou nos mecanismos de busca no Brasil no último ano. O termo, traduzido para o português, significa “cuidados com a pele”. Um dos efeitos colaterais da pandemia da Covid-19, que deve ser encarado como uma mudança de hábito bem positiva, foi o estímulo ao autocuidado. Cultivar o amor próprio está em alta e esse é um dos legados do Coronavírus. O isolamento social estimulou as rotinas de cuidado dentro de casa e a atenção à pele faz parte desse ritual. Os momentos reservados para si mesmo são vistos com bons olhos pelos médicos porque são prazerosos, relaxantes e interferem no nosso bem-estar físico e mental. Podemos dizer então que o hábito cotidiano de cuidar da pele vai além da beleza do rosto e promove benefícios para a saúde que não podemos ver no espelho. Sabe aquela sensação de “paz de espírito”? É sobre isso que estamos falando. E, no post de hoje, trazemos algumas dicas que podem ser incorporadas por você para praticar o Skincare. 1. Consulta com o dermatologista: esse é o primeiro passo antes de sair comprando tudo na farmácia que diz respeito ao skincare. Um especialista saberá dizer qual o seu tipo de pele e quais são os cuidados que ela requer. 2. Avalie seu perfil: cabe na sua rotina um produto que precisa de 20 minutos de aplicação para fazer efeito? Os produtos que usou anteriormente deixaram sua pele ressecada ou oleosa? Provocaram alergias? Pessoas com pele oleosa e com acne, por exemplo, devem evitar hidratantes comuns no rosto, dando preferência para produtos oil free nas áreas de maior oleosidade. Converse com o dermatologista e priorize cosméticos que cabem na sua rotina, no seu orçamento e que serão assertivos. 3. Os produtos orgânicos e naturais, que não contém parabenos e ftalatos não prejudicam a nossa pele e ainda não agridem o meio ambiente! 4. Pela manhã, a higienização do rosto é fundamental. Além do sabonete adequado para sua pele, os tônicos e águas termais são produtos que podem ser incluídos no seu skincare matinal. Os lábios também pedem atenção especial e uma dica são os produtos à base de manteiga de karité, cacau ou vaselina, que prevenirem rachaduras, principalmente no frio. 5. O protetor solar é protagonista no cuidado com a pele e não deve ser dispensando jamais. “Os raios UVA são constantes durante todas as estações, horas e condições climáticas. Por esse motivo, o filtro solar deve ser usado regularmente, inclusive no inverno”, orienta a médica dermatologista do GNDI Sul, Vanessa Soares. 6. Á noite, toda a poluição, poeira e outros resquícios da maquiagem devem ser removidos da nossa pele. Repita a limpeza com o sabonete, use o tônico e um creme hidratante indicado pelo seu dermatologista. Sabe aqueles produtos “anti age”, que ajudam a corrigir as marcas de expressão e as temidas ruguinhas? Esse é o melhor horário para serem usados. 7. Vale investir na esfoliação e máscaras, como as de argila, uma vez por semana. Separe um horário na sua agenda para fazer um ritual mais longo. Os resultados serão sentidos por dentro e por fora! 8. A ingestão de água e hábitos alimentares também influenciam a saúde da pele. A dermatologista observa que o indicado é comer sempre legumes, hortaliças e frutas, que são fonte de vitaminas e minerais com capacidade de neutralizar os radicais livres, ou seja, prevenir o envelhecimento da pele. “Boas opções são as frutas ricas em vitamina C, como o morango, a laranja, a mexerica, o limão, a cereja; vegetais, como o brócolis, o repolho e a cenoura”, comenta Vanessa. Outro alimento que pode ser adicionado à dieta saudável é a soja. “Ela é rica em isoflavonas, substâncias que evitam o ressecamento e melhoram a elasticidade da pele. Adicione também castanhas, nozes e amêndoas, que são ricas em vitamina E, selênio e antioxidantes, importantes aliados para manter a pele saudável e bonita”, complementa. E se você ainda não incorporou o hábito de cuidar da pele na sua rotina, pode começar agora mesmo!

Máscara PFF2, tecido ou descartável: qual devo utilizar?

Máscara PFF2, tecido ou descartável: qual devo utilizar?

O Brasil vem avançando na campanha de vacinação contra o coronavírus. Até agora, mais de 70 milhões de pessoas receberam a primeira dose e quase 30 milhões já estão totalmente imunizadas. Porém, os cuidados continuam, principalmente, com o uso da máscara. Mas algumas dúvidas ainda surgem entre a população. Qual o modelo de máscara mais adequado? As máscaras de tecido são realmente eficazes? Qual a diferença entre a máscara descartável e a máscara PFF2?Máscara PFF2 A máscara PFF2 é um Equipamento de Proteção Individual (EPI) utilizado, principalmente, por profissionais da saúde. A sigla significa Peça Facial Filtrante, mas também é conhecida como “respiradores”. A máscara descartável PFF2 cobre o nariz e a boca, mas a grande diferença dela para as outras é o poder de vedação, que retém as gotículas emitidas por outra pessoa e, além disso, impede que os aerossóis – partículas que ficam no ar por alguns minutos - contaminem alguém que está dentro de um ambiente. Uma máscara desse modelo filtra pelo menos 95% das partículas transportadas pelo ar. Esse tipo de máscara é considerado o mais eficaz e pode ser adquirido por todos, não só profissionais de saúde. Basta ir até uma loja de artigos médicos ou consultar o produto em sites confiáveis na internet. É importante checar se existe o selo do Inmetro.  A máscara PFF2 também é conhecida como N95, mas esta sigla é usada nos Estados Unidos. Pode ser reutilizada. Basta deixá-la descansando entre 3 a 7 dias, em local arejado, sem luz solar direta. Mas fique atento: depois de cinco usos, precisa ir para o lixo. Máscara de tecido Uma pesquisa feita pela Universidade de São Paulo (USP) mostrou que a eficácia de uma máscara de tecido é a menor entre as disponíveis no mercado. Os pesquisadores testaram alguns tecidos diferentes: algodão, lycra e microfibra. A eficácia variou entre 15% e 70%, tendo como média, 40%. Neste experimento, os modelos de máscaras passaram por um equipamento que produz partículas de aerossol de tamanho similar ao vírus da Covid-19. A concentração de partículas foi mensurada após a emissão do jato. As máscaras de tecido foram recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) bem no início da pandemia e referendadas pela Agência Nacional de Vigilância em Saúde (Anvisa). Os pontos favoráveis desse modelo são o baixo custo e a confecção caseira e manual. Atenção para as recomendações: lave com água corrente e sabão. Depois, deixe de molho por 30 minutos em uma solução com água sanitária. Lave na sequência e deixe secar ao ar livre. Máscara descartável O modelo de máscaras descartáveis já era utilizado por algumas pessoas em ambientes hospitalares. São feitas de TNT e contém um filtro que retém micro-organismos e gotículas. Também existem as confeccionadas em polipropileno ou de três camadas. Precisam ser descartadas após o primeiro uso. Têm eficácia maior que as de tecido, mas menor que a máscara PFF2. Um dos problemas desse modelo é a falta de vedação na lateral. Mesmo assim, um estudo feito pela Universidade Duke, nos Estados Unidos, apontou eficácia de 90%.

Como prevenir hepatites virais?

Como prevenir hepatites virais?

As inflamações no fígado são designadas como hepatites e têm origens diversas, como uso de alguns medicamentos, álcool e outras drogas, doenças autoimunes, causas metabólicas ou genéticas e podem ser causadas ainda por vírus. E as hepatites virais são lembradas durante o Julho Amarelo, que tem como objetivo reforçar a orientação da população sobre cuidados básicos que podem preveni-las. Nem sempre os sintomas se manifestam precocemente nas hepatites virais. Quando aparecem são em forma de cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos e dor abdominal, que são indícios clássicos das infecções. O diagnóstico é facilitado quando a pele e olhos ficam amarelados (icterícia). O curioso sobre essas doenças é que as hepatites A, B e C são provocados por vírus diferentes. Todas elas, no entanto, têm uma característica em comum: agridem as células do fígado e provocam a inflamação. Hepatite A O vírus da hepatite A está presente nas fezes de pessoas doentes e a contaminação pode ser direta ou por meio de objetos, água ou alimentos que carreguem o vírus. Uma minoria dos casos evolui para quadros graves, que levam à necessidade do transplante de fígado. Em situações mais raras, quando há necrose das células do órgão, a enfermidade pode ser fatal. A vacina para a Hepatite A é intramuscular e pode ser ministrada após 1 ano de idade, em duas doses. Em 2017, o Programa Nacional de Imunizações (PNI) alterou a faixa etária do esquema de dose única da vacina para crianças entre 15 meses e antes de completar 5 anos de idade. Adultos saudáveis estão fora do calendário do SUS, mas podem se vacinar na rede privada. Hepatite B Nas hepatites B e C, o vírus pode permanecer no organismo por longos períodos. A hepatite B é transmitida pelo vírus VHB, presente no sangue, na saliva, no sêmen e nas secreções vaginais das pessoas contaminadas. Além de ser uma infecção sexualmente transmissível (IST), pode ser transmitida de mãe para filho (na gravidez, durante e após o parto), durante a utilização de drogas injetáveis (compartilhamento de seringas) e por meio de pequenos ferimentos na mucosa e na pele. Quem se contamina pelo vírus VHB pode desenvolver hepatite aguda, hepatite crônica (ou ambas) e hepatite fulminante (é uma variação rara, que pode ser fatal). Exames de sangue identificam a doença no organismo e os sintomas são os mesmos da hepatite A, quando na forma aguda. A boa notícia é que também há vacina para a Hepatite B. O PNI preconiza a imunização universal das crianças contra Hepatite B nas unidades neonatais e vacinação de resgate nos adultos não imunizados. Hepatite C Causada pelo vírus VHC, a Hepatite C é transmitida por sangue contaminado em compartilhamento de seringas, agulhas ou de instrumentos de manicure, pedicure, tatuagem e colocação de piercing. Também é uma IST e os bebês podem ser contaminados pela mãe por via perinatal. Por evoluir lentamente, o diagnóstico pode ser tardio e os portadores do vírus VHC podem desenvolver uma forma crônica da doença, que leva a lesões graves no fígado, como cirrose e hepatocarcinoma (câncer do fígado). A hepatite C pode ser curada com a prescrição de medicamentos. Quando isso não é possível, o foco do tratamento é conter a progressão da doença e evitar as complicações como a diabete mellitus, a tireoidite e a cirrose. Não possui vacina como as formas A e B, citadas acima. Como prevenir as hepatites virais? - Higienizar corretamente os alimentos com água clorada por 10 minutos; - Beber somente água potável; - Manter bons hábitos de higiene; - Usar preservativo nas relações sexuais; - Não compartilhar seringas e objetos pessoais (escova de dente, lâminas de barbear, alicates, lixas, espátulas); - Consumir álcool moderadamente (o excesso pode aumentar o risco de desenvolver as complicações da doença); - Antes de engravidar, as mulheres devem fazer o teste para saber se são portadoras dos vírus das hepatites B e C; - Tomar as vacinas para Hepatite A e B, conforme orientação do Ministério da Saúde.

Centro Clínico Mercês - A mais nova referência em saúde da região

Centro Clínico Mercês - A mais nova referência em saúde da região

O atendimento do GNDI Sul em Curitiba vai ficar ainda mais completo.A partir de 19/07, começa a funcionar o novo Centro Clínico Mercês.Localizado em um ponto estratégico da cidade, na Avenida Manoel Ribas, 552, essa nova Unidade chega para centralizar o atendimento aos nossos beneficiários para consultas eletivas e para urgências e para emergências pediátricas.Importante: Com a inauguração desta Unidade, o Pronto Atendimento Médico Infantil (PAMI), que fica na Rua Vicente Machado, 2.340, e o Centro Clínico da Criança, localizado na Rua Teixeira Coelho, 464, serão desativados.Atendimento de Urgências e EmergênciasO atendimento de urgências e emergências pediátricas será realizado 24h por dia, já o atendimento eletivo acontecerá das 7h às 19h, de segunda a sexta, e aos sábados, das 8h ás 12h por meio de agendamento prévio.O Centro Clínico Mercês conta com 5.061,59m² distribuídos em quatro pavimentos com:17 consultórios;2 salas de triagem;Sala para curativo;Sala de gesso;Sala de Isolamento;Sala de medicação;Sala de emergência;Sala de observação com 12 leitos;E mais duas salas para realização de exames de raios-X e ecografia.Especialidades atendidas:Alergia e Imunologia;Cardiologia;Cirurgia Cardiovascular;Cirurgia Pediátrica;Dermatologia;Endocrinologia;Gastroenterologia;Hematologia/Cancerologia;Homeopatia;Infectologia;Nefrologia;Neurologia;Nutrologia;Ortopedia e Traumatologia;Pediatria;Pneumologia;Psiquiatria;Testes Alérgicos.Atendimento para consultas eletivas, urgência e emergências pediátricas.

Confira 6 dicas para cuidar da saúde no inverno

Confira 6 dicas para cuidar da saúde no inverno

Oficialmente, a estação mais fria do ano chegou. E o que muda no autocuidado no inverno? No post de hoje, os médicos do GNDI Sul trazem algumas dicas para você manter os cuidados com a saúde, do corpo e da mente, e atravessar os dias de baixa temperatura com sensação de bem-estar e qualidade de vida até a primavera chegar. 1) Atenção especial para a pele Banhos mais quentes e longos, ventos gelados, pele seca e esbranquiçada. Você já reparou como a estação mais fria do ano prejudica nossa pele? A médica dermatologista Vanessa Soares conta que isso acontece porque a queda nas temperaturas leva a uma diminuição da transpiração corporal. Suando menos, nossa pele tende a ficar menos úmida e a sofrer alterações no manto lipídico, que atua em sua proteção natural. A boa notícia é que, apesar do tempo seco e frio, é possível sim manter uma pele bonita com alguns cuidados. Segundo Vanessa, o ideal é intensificar a hidratação. “Tanto a pele do rosto quanto do corpo está sujeita a ressecamento”, destaca ela, ao sugerir que beber pelo menos dois litros de água diariamente é fundamental. Um corpo hidratado apresenta uma pele macia e elástica. “É importante manter a ingestão hídrica, mesmo, muitas vezes, não sentindo sede. Outros hábitos essenciais são tomar banho morno e rápido e aplicar hidrante em todo corpo logo após o contato com a água quente”, ensina. 2) Como evitar as alergias Quem sofre com asma, bronquite, sinusite e outras “ites” também sente na pele os efeitos nocivos do inverno no organismo. O médico de família do Centro de Qualidade de Vida (CQV) do GNDI Sul, Rafael Mendonça Rey dos Santos, explica que o frio deixa as mucosas mais irritadas e favorece o surgimento das infecções e alergias. Alguns cuidados simples como manter o ambiente aquecido, se agasalhar bem e higienizar os ambientes e as roupas de lã e cobertas – principalmente aquelas que saem do armário apenas nos dias de temperaturas mais baixas - podem diminuir os desconfortos. 3) Ventilação é aliada da saúde Mesmo no inverno as janelas devem ficar abertas e os ambientes ventilados. Em situações normais essas são medidas que podem reduzir os contágios por doenças virais e em tempos de Covid-19 devem ser encaradas como um fator de proteção, indispensável. 4) Alimentação equilibrada Quem nunca ouviu a máxima “você é o que você”? Todo mundo já sabe a importância dos alimentos saudáveis para manter a imunidade em alta. Mas ingerir frutas e saladas no inverno não é um hábito que agrada todos os paladares. Para quem costuma esquecer das hortaliças nos dias frios, Rafael dos Santos dá uma dica: “substituir os legumes crus pelos refogados é uma ótima pedida. Além disso, na temporada das sopas, o essencial é buscar as receitas com ingredientes mais leves e evitar o consumo exagerado de carboidratos e gorduras”, orienta. 5) Corra do sedentarismo E se o assunto é prevenção e estilo de vida saudável, as atividades físicas precisam estar em dia, mesmo no frio. E os beneficiários do GNDI Sul não têm mais desculpa para ficarem parados. O programa “Em Movimento”, oferecido pelo CQV, presta orientações de como criar o hábito para a realização de atividades físicas. O educador físico Diego Mariano, que coordena o programa, explica que o grupo online no whatssap foi criado com a finalidade de colocar a atividade física dentro da rotina dos beneficiários. “A ação visa estimulá-los a buscarem boa qualidade de vida por meio da prática de exercícios físicos constante, que é tão importante para a saúde quanto escovar os dentes e tomar banho”, afirma. Com as atividades físicas regulares, segundo Diego, o beneficiário vai perceber uma melhora natural no seu quadro de saúde – física e mental - reduzindo riscos sobre o aparecimento de doenças causadas pelo sedentarismo na longevidade, por exemplo. “O objetivo é construir um estilo de vida mais saudável, o que gera economia para o paciente e, sobretudo redução de impactos na sua saúde no futuro”, explica Diego. 6) Calor humano Por fim, o cuidado com a saúde passa por uma mente sã. E se os dias cinzentos do inverno e todo o clima de tensão gerado pelo Coronavírus não favorecem a saúde mental, o jeito é cultivar a resiliência e buscar caminhos para sair do “marasmo”. “Muitas pessoas ainda têm dificuldades de conciliar a vida pessoal e profissional durante o trabalho remoto. Mas é preciso colocar limites e estabelecer uma rotina que deve contemplar o lazer e atividades físicas. Outra questão fundamental é a convivência social. Mesmo com a medida de distanciamento é preciso encontrar alternativas para diminuir a sensação de solidão. Cultive os laços de amizade e mantenha o contato com a família com a ajuda da tecnologia, que se tornou uma aliada importante para a manutenção dos vínculos afetivos. O calor humano pode ser sentido mesmo à distância e ajuda a diminuir a frieza desses tempos tão nebulosos”, pontua Rafael. Outros fatores que surgiram com a pandemia e tornaram o inverno ainda mais rigoroso para a saúde mental: alguns tiveram que aprender a conviver com a dor da perda de um familiar ou amigo; outros não sabem lidar com o temor de ser infectado pelo Coronavírus; muitos enfrentam tensões familiares por conta da convivência exacerbada no isolamento social; e há ainda aqueles que enfrentam o medo do desemprego e experimentam a insegurança provocada pela crise econômica. Os beneficiários do GNDI Sul não estão sozinhos e contam com uma rede de apoio para driblar as adversidades. Aqueles que que sentirem a necessidade de orientação especializada para cuidar da saúde mental são assistidos pela Clínica Rama. Em período de distanciamento social o acesso pode ser feito de casa. Para utilizar esse serviço, o beneficiário precisa de uma guia ou indicação médica. Com o documento em mãos, ele entra em contato com a Central Clinipam GNDI e agenda uma consulta de Avaliação na Clínica Rama.

Gestantes ganham equipe exclusiva para atendimento de pré-natal

Gestantes ganham equipe exclusiva para atendimento de pré-natal

A gestação é um momento especial na vida de grande parte das mulheres e, no GNDI Sul, elas aproveitam essa fase com muito conforto e segurança. Desde o mês de abril, as futuras mamães contam com uma equipe exclusiva para atendimento de pré-natal e obstetrícia nos centros clínicos da rede própria do GNDI Sul.Para Manuela L. Gomes, que faz parte da equipe do Programa Gestação Segura, o atendimento exclusivo às gestantes traz melhorias assistenciais. “Contamos com dez médicos que atuam com um protocolo unificado para cuidar das futuras mamães. Esses profissionais têm um olhar específico sobre as mulheres grávidas”, diz. Você sabe por que o pré-natal é tão importante? O pré-natal é o acompanhamento médico que ocorre quando a gravidez é confirmada e continua até o período pós-parto. Com base nele, é possível detectar possíveis doenças tanto no bebê como na mamãe! O hemograma é um dos principais exames realizados no pré-natal para avaliar todos os componentes presentes no sangue, ou seja, a quantidade de plaquetas, glóbulos brancos e glóbulos vermelhos (hemácias). Também aponta se a coagulação está dentro da normalidade, se sistema imunológico da gestante está fortalecido ou se há sinal de infecção no organismo. O exame de glicemia mede a quantidade de glicose no sangue e é capaz de diagnosticar risco de diabetes gestacional. Para saber se está tudo sob controle, a curva glicêmica das gestantes é avaliada no 5º mês de gestação. A coleta de sangue verifica também o tipo de sangue (para auxiliar se houver necessidade de transfusão) e o fator Rh (para saber mãe e filhos são compatíveis, ou seja: positivo ou negativo). A lista inclui ainda a sorologia para hepatites virais B e C, HIV, Sífilis e Rubéola. Todas essas doenças podem comprometer a saúde do bebê, por isso devem ser diagnosticadas. Se alguma delas tiver sido contraído pela gestante, um tratamento específico será necessário. E a cada trimestre da gestação, são realizados diferentes tipos de ultrassons e esses exames são muito aguardados pelas mamães e toda a família. São eles: - Ultrassom Transvaginal — comprova a idade gestacional, avalia como está a gravidez; - Ultrassom Morfológico — analisa a formação do feto: o desenvolvimento do sistema nervoso, dos membros e do coração. Pode identificar algum problema de malformação fetal.Pilates para gestantes O GNDI oferece, no Centro de Qualidade de Vida (CQV), o Pilates para Gestantes. Podem participar as mulheres grávidas a partir do 3º mês de gestação e que estejam aptas a fazer exercícios, conforme avaliação médica. O objetivo é melhorar a qualidade de vida das futuras mamães. No período gestacional, a atividade física deve ser de baixo impacto e intensidade leve a moderada. É de extrema importância para a mãe e para o bebê porque oferece muitos benefícios: controle do peso, prevenção de parto prematuro e melhora da circulação sanguínea; evitando varizes e reduzindo o edema. Também prepara as mamães para o momento mais aguardado da gestação: a hora do parto, por meio de exercícios para fortalecimento da região pélvica, alongamento e respiração. A prática também é indicada para a recuperação no pós-parto. Por conta da pandemia, as aulas são realizadas online.

Centro Clínico Mercês: substituição de Prestador em Curitiba

Centro Clínico Mercês: substituição de Prestador em Curitiba

Curitiba, 19 de junho de 2021.De forma a assegurar sempre o melhor atendimento prestado aos nossos beneficiários, informamos que, no dia 19 de julho de 2021, será inaugurado o Centro Clínico Mercês e, com isso, acontecerão mudanças no atendimento pediátrico da rede credenciada de Curitiba e região. O Pronto Atendimento Médico Infantil (PAMI), situado na Rua Vicente Machado, 2.340, e o Centro Clínico da Criança, situado na Rua Teixeira Coelho, 464, ambos na cidade de Curitiba, serão desativados e não realizarão atendimentos. O PAMI será desativado a partir das 23h59 do dia 18 de julho de 2021, e o Centro Clínico da Criança, às 12h do dia 17 de julho de 2021.A nova Unidade do Grupo NotreDame Intermédica, Centro Clínico Mercês, está localizada na Avenida Manoel Ribas, 552 – Mercês, e foi construída e totalmente equipada com o que há de mais moderno para o atendimento eletivo, de urgência e emergência à criança. O espaço dispõe de 5.061,59 m², distribuídos em quatro pavimentos, com 17 consultórios, 2 salas de triagem, sala para curativo, sala de gesso, sala de isolamento, sala de medicação, sala de emergência, sala de observação com 12 leitos, além de duas salas para realização de exames de raios-X e ecografia. O Centro Clínico Mercês realizará, a partir do dia 19 de julho, o atendimento 24h de urgências e emergências pediátricas, além dos atendimentos eletivos, de segunda a sexta, das 7h às 19h, e aos sábados, das 8h às 12h, sempre por meio de agendamento prévio. Para melhor atendimento, a nova Unidade contará com as seguintes especialidades: Alergia e Imunologia, Cardiologia, Cirurgia Cardiovascular, Cirurgia Pediátrica, Dermatologia, Endocrinologia, Gastroenterologia, Hematologia/Cancerologia, Homeopatia, Infectologia, Nefrologia, Neurologia, Nutrologia, Ortopedia e Traumatologia, Pediatria, Pneumologia, Psiquiatria e Testes Alérgicos.Consulte a rede credenciada pelo site www.gnsisul.com.br ou pelo aplicativo GNDI easy Sul e verifique a substituição dos locais para atendimento pediátrico, segundo o plano contratado.Em caso de dúvidas, entre em contato pelo aplicativo ou pela Central de Atendimento da sua região.

O Grupo NotreDame Intermédica Sul chegou em Londrina

O Grupo NotreDame Intermédica Sul chegou em Londrina

As unidades do Hospital do Coração Paes Leme e Bela Suíça, referências na região, estarão disponíveis para atendimento aos beneficiários dos nossos planos, com o objetivo de cumprir a missão de tornar saúde de qualidade acessível a gerações de brasileiros.Connect Londrina, o plano de saúde do Hospital do CoraçãoCom o conceito de facilitar o acesso à saúde de qualidade, o Connect Londrina faz a combinação perfeita entre os melhores hospitais da região, uma equipe que conhece sua vida, acesso fácil, inclusive por Telemedicina, trazendo mais comodidade e um melhor resultado para a sua saúde. Conheça os diferenciais do plano Connect Londrina:PLANOS EMPRESARIAIS- Rede Própria com hospital de referência, estrutura completa para a sua equipe ter o melhor atendimento da região;- Mais eficiência na gestão de custos, graças ao acompanhamento próximo do paciente e aos programas de promoção à saúde;- Foco em prevenção, o que pode reduzir o absenteísmo entre seus colaboradores;- Isenção de coparticipação nos atendimentos via chat, além de 6 consultas anuais com a equipe de acompanhamento;- Acompanhamento de pacientes crônicos;- Plano odontológico com a maior cobertura do Sul do Brasil, mais de 15 mil dentistas credenciados e 30 mil pontos de atendimento nacional.PLANOS INDIVIDUAIS OU FAMILIARES- Atendimento personalizado e humanizado por uma equipe de saúde multiprofissional;- Praticidade para realizar as consultas quando e onde você estiver;- Foco na prevenção de doenças e na qualidade de vida;- Relação médico-paciente inovadora e próxima;- Comunicação fácil com a Equipe do Cuidado por meios digitais;- Respeito pelo histórico e necessidades do paciente;- Plano odontológico com a maior cobertura do Sul do Brasil, mais de 15 mil dentistas credenciados e 30 mil pontos de atendimento nacional.Hospitais de Referência:- Hospital do Coração Bela Suíça;- Hospital do Coração Paes Leme.Área de abrangência:Cambé, Ibiporã, Londrina, Pitangueiras, Rolândia, Tamarana.O que é a Equipe do Cuidado?A Equipe do Cuidado conta com profissionais capacitados e comprometidos com a oferta de um atendimento fácil, amplo e completo, cuidando dos mais diferentes aspectos da sua saúde.Baseados no seu perfil e nas necessidades diárias, a sua Equipe do Cuidado estuda os melhores tratamentos e medidas de prevenção, tendo como alvo o bem-estar e a qualidade de vida, olhando para você de forma integral.Desde a sua adesão ao Connect Londrina, essa equipe estará ao seu lado, sempre perto de você, garantindo o acesso à melhor experiência dentro de um novo modelo de atendimento, onde você é o centro do cuidado.Escolha o melhor para você.Escolha do Connect Londrina.Solicite sua cotação. Clique aqui!

Isolamento social diminui doação de sangue

Isolamento social diminui doação de sangue

Em 14 de junho comemoramos o “Dia Mundial do Doador de Sangue”. No Brasil, apenas 1,6% da população brasileira possui o hábito de doar sangue regularmente. E, em alguns períodos do ano – como Carnaval, inverno e férias escolares – a queda nos estoques é maior. E em tempos de Coronavírus e, consequentemente de isolamento social, as reposições nos postos de coleta diminuíram ainda mais. Por isso, aproveitamos a data para sensibilizar você, que está lendo esse texto, a doar sangue. Esse é um ato de amor: uma única doação pode salvar até quatro vidas. Além de pacientes em tratamento para diversas doenças (anemia, câncer e ferimentos em decorrência de acidentes) aqueles que são internados com manifestações graves da Covid-19 precisam de transfusões. Nicole Garcia, diretora médica do GNDI Sul explica que as utilizações de bolsas de sangue são necessárias em casos de agravamento da doença, que causam distúrbios de coagulação sanguínea. “Muitos pacientes em estado grave demandam por transfusões e precisam, em média, de três bolsas de sangue”, conta a médica. Ela alerta que as alterações na coagulação sanguínea não acometem apenas pacientes idosos e com comorbidades – considerados do grupo de risco. “As novas cepas atingiram em cheio os jovens, inclusive, aqueles sem doenças crônicas pré-existentes. Os distúrbios de coagulação são gatilhos para formação de tromboses e aumento acentuado de marcadores inflamatórios que causam lesões em vários órgãos. As anemias também são mais uma consequência da Covid-19. Muitos pacientes, mesmo com alta médica, sentem fraqueza e necessitam de acompanhamento clínico para reabilitação. O período para a recuperação é longo”, enfatiza Nicole. Como doar sangue?Para doar é preciso ter entre 16 e 69 anos, não ter ingerido álcool nas últimas 12 horas, pesar no mínimo 50 kg e estar em boas condições de saúde. Se você se enquadra nesses requisitos, basta procurar o hemocentro mais próximo.A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) orienta que aquelas pessoas com sintomas de Covid-19 ou que tiveram contato com casos suspeitos ou confirmados da doença devem aguardar 14 dias para fazer a doação. Já para os contaminados pelo Coronavírus é maior: o tempo é de 30 dias até a recuperação total da doença.

Selo ANS Número ANS